terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

A história dos Aasimar e Tieflings em Elgalor (Parte 3)

Logo após a primeira semana de viagem através de territórios inóspitos, Andael sentiu que algo estava errado com sua pátria, mas ele não poderia mais parar. Precisava alcançar as Montanhas Azuis. Ele e seu povo passaram por vários desafios, dentre os quais ataques esporádicos de orcs ou ogros eram as menores preocupações. O frio era intenso, e muitas pessoas adoeceram no meio da viagem. Quanto mais se afastavam de Abilan, piores as coisas ficaram.

A viagem que deveria ter durado duas semanas levou quase três para ser completada, e muitos dos que seguiam com Andael se revoltaram e desistiram na metade do caminho. A cada dia que passava, mais pessoas julgavam aquilo um absurdo, e mais pessoas abandonavam a comitiva. No vigésimo dia de viagem, quando finalmente chegaram à montanha, havia apenas 960 pessoas.

Quando Andael e suas irmãs chegaram ao topo, foram saudados por um arcanjo, que se apresentou como Laguel, o Guardião Dourado. Com gentileza, Laguel pediu a Andael que trouxesse todos até a enorme plataforma natural que formava o topo da montanha mais alta da pequena cordilheira. Andael assentiu, e em algumas horas, todos estavam ali.

O topo da montanha era um local verde e belo, e todos se sentiam inexplicavelmente bem e revigorados. Laguel explicou que aquilo ocorria porque o topo da montanha, na verdade, estava localizado nos Planos Celestiais, e que todos que estavam ali eram dignos de coração, e por isso, estavam sendo nutridos pelas energias sagradas da montanha. Andael agradeceu, e perguntou ao arcanjo quando eles receberiam auxílio para retomar seu reino e proteger as pessoas contra o mal que Ivernus estava espalhando pelo continente. Com peso na voz, Laguel informou ao guerreiro que não havia mais nada a se proteger, pois Abilan estava em ruínas e todos aqueles que deixaram a comitiva no meio do caminho haviam sido mortos pelos grupos de caça de Ivernus.

Andael cerrou os punhos em raiva e frustração, mas Laguel continuou, dizendo que não havia mais nada a fazer pelo povo de Abilan a não ser honrar sua memória. E isto, segundo o arcanjo, seria feito por meio do valor e da espada. Mas ainda não era hora. Eles ainda não estavam preparados. Quando Andael lhe perguntou quando seria a hora, notou que todos ao seu redor haviam caído em um sono profundo. Virando-se para perguntar ao arcanjo o que aquilo significava, ele sentiu um forte torpor tomando seu corpo.

“Vocês precisam aprender o Caminho da Luz. Precisam se tornar unos com a energia sagrada que permeia todo nosso universo. Neste local sagrado, em seus sonhos vocês encontrarão por si próprios o poder que precisam para proteger toda Elgalor de um mal muito maior do que Ivernus. Dentro de um ano e um dia, você e os seus estarão prontos, mas por hora, apenas durma”.

Quando a última palavra foi proferida pelo arcanjo, Andael caiu em um sono profundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário