sábado, 30 de janeiro de 2016

A história dos Aasimar e Tieflings em Elgalor (Parte 1)

Muitos séculos atrás, antes da eclosão da Guerra da Fúria, anões e elfos já haviam consolidado diversos reinos ao redor de Elgalor. Os humanos, no entanto, ainda viviam em sociedades tribais, e haviam formado apenas dois reinos que hoje já não existem: Nirakoth e Abilan. Ambos eram pequenos e incipientes se comparados aos grandes reinos de Sindhar, dos elfos e Darakar, dos anões. Contudo, possuíam sociedades organizadas, e cresciam a cada ano.

Em um determinado momento, um homem misterioso chegou a Andoran, o rei de Abilan, oferecendo dádivas de conhecimento e poder. As intenções do estranho pareciam sinceras, e em seu discurso, ele reforçou diversas vezes que seus conhecimentos seriam fundamentais para que o povo de Abilan prosperasse e, um dia, se igualasse aos grandes reinos dos elfos e anões. Andoran, por alguma razão, sentiu que algo estava errado, e recusou a oferta. Quando o estranho tentou dissuadi-lo, o rei lhe deu três horas para deixar os portões de sua cidade, ou ele seria executado. Contrariado, o estranho partiu.

Semanas depois do ocorrido, um homem surgiu perante Ivernus, o rei de Nirakoth, oferecendo conhecimento e poder, que tornariam em algumas décadas Nirakoth o mais poderoso reino de toda Elgalor. Ivernus, que ao contrário de Andoran, era um homem ambicioso, aceitou a oferta. Em poucos meses, o estranho iniciou o rei e diversos homens escolhidos a dedo nos mistérios das artes arcanas, e da invocação de criaturas poderosas dos planos inferiores. Assim, pela primeira vez na história de Elgalor, humanos passaram a ter contato com a magia arcana.  

Com o uso irrestrito da magia, Nirakoth prosperou assustadoramente, e em menos de três anos, já era um reino muito maior e mais poderoso do que Abilan. Contudo, quanto mais poder Ivernus tinha, mais ele desejava. Até que, em um dia fatídico, pediu ao estranho que lhe ensinasse o caminho para a imortalidade. O estranho sorriu, e ensinou a Ivernus como realizar um ritual que conferiria a ele a longevidade e o poder dos diabos dos planos inferiores. E mais do que isso: O estranho garantiu que quanto mais de seus súditos passassem pelo ritual, mais poderoso ele, como rei ficaria. Apenas três anos após isso e quase todo o povo de Nirakoth havia sido alterado. Agora, muitos ostentavam com orgulho traços abissais em seus corpos e mentes: Chifres, pele cor de sangue, presas e, acima de tudo, um desejo insaciável por mais poder....