sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Ordens de Elgalor: Cavaleiros Esmeralda

“ A luz está em toda parte, especialmente nas coisas simples e mundanas, que muitas vezes, negligenciamos em momentos de comodismo ou tensão. Ela deve ser cultiva e protegida, através de cada pensamento que nutrimos e ação que praticamos. A luz, apesar de poderosa como uma montanha, pode ser frágil como o sorriso de uma criança. Por isso, há ocasiões em que nossas espadas são necessárias. Lutamos não pela glória do combate, mas pela luz, simples e pura, que muitas vezes precisa ser protegida. Um verdadeiro Cavaleiro não combate fogo com fogo, pois sabe que no final, mesmo na vitória, não haverá nada além de cinzas. O verdadeiro Cavaleiro combate com a luz de seu espírito, pois sabe que uma pequena vela é capaz de iluminar a mais escura das caverna. O verdadeiro Cavaleiro sabe que em última instância, a luz é aquilo que a escuridão mais teme.”

- Nuadha Laethalion rei de Elvanna e Guardião Esmeralda da ordem dos Cavaleiros Esmeralda.


Uma das mais antigas e nobres organizações de Elgalor, os Cavaleiros Esmeralda é uma ordem formada quase que exclusivamente por elfos. Os “primeiros paladinos”, como está registrado em antigos tomos da história élfica, sempre foram grandes guardiões da luz e defensores dos inocentes, e representam a epítome dos valores élficos: Compaixão, sabedoria, honra e uma grande reverência pela arte da espada, magia e principalmente, pela natureza.

Os Cavaleiros Esmeralda lutam para preservar tudo aquilo que é bom e puro no mundo. Segundo a filosofia da ordem, há muita luz em coisas simples como uma canção, o sorriso de uma criança, o amor entre um homem e uma mulher, o alvorecer, a majestade de uma montanha ou o esplendor de uma floresta. Todas estas coisas, apesar de sagradas e poderosas, são uma ameaça às forças da Sombra, e por isso, precisam se protegidas. Precisam ser cultivadas.

Para tanto, os membros da ordem passam décadas como escudeiros de um cavaleiro experiente aprimorando sua técnica com a espada e a lança (armas favoritas dentro da ordem), cultivando sua luz interior e fortalecendo seus espíritos, para que estes jamais se corrompam ou percam a luz diante da escuridão. Após cerca de cinqüenta anos de treinamento, o escudeiro é sagrado cavaleiro em uma cerimônia conduzida por druidas, e então, recebe permissão para viajar sozinho, protegendo a luz sob todas as suas formas, e combatendo aqueles que pretendem destruí-la.

Atualmente, a ordem conta com 250 paladinos e 500 escudeiros espalhados por toda Elgalor, embora a presença da ordem seja sentida com mais força em territórios normalmente protegidos por elfos. A hierarquia na ordem não é rígida ou mesmo muito clara, mas sabe-se que há 12 cavaleiros com o título de Guardiões Esmeralda que são considerados comandantes espirituais e militares dos demais cavaleiros e escudeiros. Existe ainda uma poderosa e misteriosa druida que, segundo as lendas, é filha de uma nobre divindade da natureza, e que fornece suporte e sabedoria à ordem em momentos de grande necessidade.

Os Quatro Pilares da ordem são:

- Que, através de tuas ações, tu sejas uma fonte de luz no caminho de todos aqueles que a ti encontrarem.

- Protejas e cultives a luz em todas as suas formas: Na música, na esgrima, na arte, na cortesia e na reverência pela natureza. Cultive-a dentro de ti, e depois, no mundo a seu redor.

- Lembra-te sempre a razão pela qual lutas, especialmente diante da Sombra: Vivemos para proteger a luz; destruir o mal é uma conseqüência disso, e não a causa por trás de nossos esforços.

- Vingança jamais pode fazer parte daquilo que fazemos.


Relações: Os Cavaleiros Esmeralda possuem boas relações com todo o povo élfico, e com criaturas poderosas que partilham de sua filosofia, como Águias Gigantes, Centauros e Dragões Metálicos, especialmente os dourados e de cobre. Eles mantêm uma forte aliança também diversos Círculos Druídicos, como o Círculo da Lança de Carvalho e o Círculo da Mãe Terra, e com os clãs humanos que compõem o reino de Irengard, uma vez que estes possuem uma grande ligação com o druidísmo.